Alameda

29.06.2020

 

Todos somos cegos aqui nesse luar
Me mostre os teus olhos pra saída enxergar
Todos somos filhos da manhã que já brilhou
Perdidos em abismos que a noite nunca contou
Rasga o véu desse céu, liberta essa prisão de papel
Todos somos netos de um sol que já se pôs
Me tragam novas flores para as cores do depois
Somos a mentira na cortina da verdade
O falso vestido despido dos teus olhos
Que me cegam, da tua boca que me cala
Do teu corpo que me queima
Nessa voz calada

 

Maurício Franke

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaque

Invadimos a WEB!

February 28, 2017

1/1
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now